Notícias

Itapeva integra o Roteiro do Milho

José Luiz, Ana Maria e Flávio Carvalho apresentam a premiação do melhor encapotado da cidade
José Luiz, Ana Maria e Flávio Carvalho apresentam a premiação do melhor encapotado da cidade

Depois de ganhar a classificação de Município de Interesse Turístico, Itapeva (SP) agora comemora sua integração ao Roteiro do Milho, que ocorre em um trecho de 200 quilômetros na região e valoriza a culinária regional. Nesta semana, a Prefeitura de Itapeva foi representada pela secretária municipal de Turismo Marimar Guidorzi de Paula no Seminário Internacional de Turismo Gastronômico, que contou com a participação de pesquisadores da Universidade de Girona, na Catalunha, Espanha.

Segundo a secretária, o encontro teve  como objetivo discutir o potencial do turismo como instrumento de preservação da culinária regional e como atividade indutora de desenvolvimento econômico e geração de renda. O evento reuniu também profissionais da rede de hotelaria, de estabelecimentos de alimentação e de agências de turismo. Entre os participantes, estava a quituteira Ana Maria Santos, vencedora do concurso de melhor encapotado de Itapeva. “Levamos a dona Ana como demonstração da nossa cozinha patrimonial. É uma satisfação poder integrar este novo circuito”, diz Marimar.

 

A secretária Marimar Guidorzi de Paula durante o evento sobre o Roteiro do Milho

 

Durante o evento, organizado pelo Instituto Agronômico (IAC – Unidade de Capão Bonito), falou-se sobre a importância do turismo gastronômico como forma de desenvolvimento para a região. As principais experiências internacionais nesse segmento foram o tema da sessão de LluísMundetCerdan.

 

Roteiro

O Roteiro do Milho é coordenado pela pesquisadora Cristina Fachini, pesquisadora da unidade do IAC/APTA em Capão Bonito e que recebe patrocínio do PROAC. A ideia de criar um roteiro turístico e gastronômico do milho no Sudoeste Paulista surgiu a partir de um mapeamento das receitas tradicionais na região e da identificação de pontos de venda que comercializam produtos à base de milho, usando receitas tradicionais.

Além de ser utilizado no dia a dia, diversas  cidades da região organizam festas do milho ao longo do ano que chegam a receber cinco mil pessoas em um só dia e que consomem cerca de 10 toneladas de milho produzido na região. O roteiro também será uma oportunidade para conhecer a cultura em torno da tradição do milho que inclui a confecção de cestarias e peneiras para produção artesanal de farinha de milho, a fabricação do pilão e de artesanato de palha do milho.

Paralelamente à criação do Roteiro, está sendo feito um mapeamento da produção de milho caipira, de paiol ou crioulo, bem como o seu uso nas fábricas de farinha, nas festas de milho verde e no artesanato local. Milho crioulo é todo milho que não foi apropriado pela indústria, constituído de variedades tradicionais que passam de geração a geração pelas mãos dos agricultores.

Integram o roteiro as cidades de Itapetininga, São Miguel Arcanjo, Capão Bonito, Ribeirão Grande, Ribeirão Branco, Itapeva, Guapiara e Apiaí.

 

Encapotado de milho e frango foi apresentado como cozinha patrimonial de Itapeva